Paralisia do Sono




O que é paralisia do sono?

A paralisia do sono é uma condição na qual um indivíduo, quase a adormecer ou quando acaba de acordar, percebe que não consegue se mexer, falar ou gritar. Isto pode durar alguns segundos ou vários minutos.

As pessoas afetadas frequentemente dizem que sentem uma presença que é quase sempre descrita como maléfica, ameaçadora ou má. Um intenso sentimento de ameaça e terror é muito comum. É normal que a presença seja vagamente sentida ou que se encontre um pouco ao lado para poder ser visualizada, o que faz aumentar o interesse, e outras vezes encontra-se aos lados ou aos pés da cama, mas como o indivíduo está paralisado não consegue mover a cabeça para a poder ver. Em outras ocasiões a presença pode atacar, estrangular ou pressionar o peito da vítima, para o desespero desta.

Por mais estranho e assustador que isto possa parecer, trata-se apenas de um distúrbio do sono. Surgem muitas vezes interpretações espirituais destas experiências, mas essas interpretações são apenas o resultado das crenças e folclore dos povos. A paralisia do sono é apenas um problema médico, nada mais do que isso.


Definição da Paralisia do Sono

No sono normal durante o qual que se sonha, o cérebro está muito ativo, os olhos se movem rapidamente (este estágio é chamado REM, Rapid Eye Movement, ou MRO, Movimento Rápido dos Olhos) e todos os principais músculos corporais estão paralisados. Não estão rígidos e contraídos, mas muito relaxados. Estão paralisados porque os sinais que vêm do cérebro são incapazes de estimulá-los a se contrair.

Essa paralisia é necessária porque se não fosse dessa forma você atuaria fisicamente nos seus sonhos. Normalmente as pessoas não percebem conscientemente a paralisia. Entretanto, ocasionalmente algo dá errado com o mecanismo, por exemplo, se você está muito cansado, se trabalhou demais, se está excitado ou preocupado. Nestas situações, você pode ficar paralisado antes de estar realmente adormecido, ou acordar e ainda encontrar-se paralisado por estar sonhando. Isto é chamado de "paralisia do sono".

É uma afeção comum caracterizada por paralisia transitória total ou parcial dos músculos esqueléticos e arreflexia que ocorre no despertar do sono ou, menos frequente, quando o indivíduo cai no sono. Esta afeção pode ocorrer em indivíduos normais ou estar associada com narcolepsia, cataplexia e alucinações hipnagógicas. A patofisiologia desta condição está intimamente relacionada com a hipotonia normal que ocorre durante o sono REM.

Causas da Paralisia do Sono

A paralisia do sono acontece durante o período de sono REM, prevenindo assim movimentos corporais durante um sonho. Muito pouco se sabe sobre a fisiologia da paralisia do sono. Entretanto, já foi sugerido que ela pode estar relacionada à inibição pós-sináptica de neurónios motores na ponte do tronco cerebral. Particularmente, níveis baixos de melatonina podem interromper a despolarização em atividade nos nervos, a qual previne o estímulo dos músculos.

Alguns estudos sugerem que existem vários fatores que aumentam a probabilidade da ocorrência de paralisia do sono e de alucinação. Eles incluem:

- Dormir de barriga para cima.
- Agenda de sono irregular; sestas; privação de sono.
- Stress elevado.
- Mudanças súbitas no ambiente ou na vida de alguém.
- Sono induzido através de medicamentos, como anti-histaminas.
- Uso recente de drogas alucinógenas.

Prevalência da Paralisia do Sono
A paralisia do sono é um fenómeno extremamente comum que ocorre pelo menos uma vez na vida a 50% da população mundial. Reconhecem-se três tipos: as independentes, as relacionadas com outra patologia e as familiares.

As de tipo familiar são muito raras, conhecendo-se apenas alguns casos na literatura científica. Podem estar associadas a outra patologia, como a narcolepsia - entre 17% a 40 % dos indivíduos que sofrem de narcolepsia já experimentaram, pelo menos, um episódio de paralisia do sono. Também podem aparecer de forma independente em indivíduos saudáveis, sendo que nestes casos está associada a altos níveis de ansiedade e stress.

Os casos independentes ocorrem com mais frequência ao acordar (alucinações hipnopômpicas), enquanto que os casos familiares e patológicos são mais frequentes ao adormecer (alucinações hipnagógicas).

A sensação de que se torna difícil respirar é uma consequência direta da paralisia dos músculos voluntários (atonia generalizada dos músculos esqueléticos, que ocorre durante o estado REM). Embora continue a haver uma respiração automática superficial, quando a pessoa tenta, sem êxito, respirar voluntariamente, é comum que experimente pânico e que se sinta como se estivesse a afogar-se. Quando ocorre a sensação de uma presença maligna, a pessoa sente a angústia de uma morte iminente.

Para voltar a conseguir mexer os músculos, aconselha-se calma, porque, afinal de contas, todas as sensações e presenças malignas são apenas um sonho. Recomenda-se fechar os olhos com muita força, dado que na maioria dos casos estão abertos ou entreabertos, ou tentar mexer zonas do corpo pouco a pouco, começando pelos dedos dos pés ou das mãos. Também serve tentar respirar profundamente, inspirando e expirando com muita força. Por último, se conseguir despertar, levante-se e fique um pouco em pé, para que ao voltar para a cama o episódio de paralisia de sono não se repita.

Tipos de Paralisia do Sono

Existem três tipos de paralisia do sono: familiar, patológico ou isolado.

O tipo familiar é o mais raro. Deve-se à herança genética, ou seja, o problema está nos genes associados ao sono que são partilhados por vários membros de uma dada família. Pode surgir em qualquer altura da vida, sendo que depois permanece para sempre. A causa é uma mutação nesses genes que ocorre quando o material genético está a ser copiado, durante a divisão celular, um erro que surge naturalmente (como acontece com alguns casos de cancro), provocado pelos raios cósmicos (fotões de alta energia), pelo contato indevido com substâncias químicas ou ainda pelo fumo do tabaco.

O tipo patológico está associado a outros distúrbios de sono, como a narcolepsia ou o bruxismo. Nestes casos, a paralisia do sono é apenas um efeito secundário de uma dada patologia. É comum nos casos patológicos a paralisia do sono surgir ao adormecer, enquanto que nos casos familiares e isolados só surge ao acordar. Por isso, se um paciente apresentar esta condição ao adormecer é um forte sinal de que pode sofrer de narcolepsia ou bruxismo. Recomenda-se a medicação.

O tipo isolado é o mais comum. Está associado a altos níveis de ansiedade ou stress, provocados por um trauma recente como, por exemplo, um divórcio, uma briga, a perda de alguem, entre outros motivos. Surge devido a alterações no processo normal do sono e desaparece logo que os níveis de stress ou ansiedade do paciente diminuem. Este tipo é responsável pelo facto de 50% da população mundial poder vir a sofrer de paralisia do sono, pelo menos uma ou duas vezes, durante a vida. Um sistema emocional em equilíbrio evita que ocorra.

Tratamento da Paralisia do Sono

Um medicamento altamente eficaz no tratamento da paralisia do sono é o Rivotril.
O Rivotril (ou Clonazepam) é um tranquilizante relativamente barato e já muito antigo. É um dos melhores tranquilizantes disponíveis devido à sua alta potência, longo tempo de circulação como forma ativa e peculiaridades farmacodinâmicas.

A dose vulgarmente empregada varia entre 0,5 e 6 mg por dia. Consulte um especialista do sono para este decidir qual a dose diária de Rivotril necessária no seu caso.

OBS: O blog Enfermagem 24 hr não recomenda a utilização de nunhum medicamento sem a devida orientação de um médico.

Como se libertar da Paralisia do Sono
Existem algumas técnicas que se pode utilizar para sair do estado de paralisia o mais rápido possível. As mais eficazes são as seguintes: piscar os olhos incessantemente, tentar mexer apenas os dedos dos pés (tentar mover um braço ou uma perna, que são músculos maiores, atrasa ainda mais o despertar) ou respirar profundamente várias vezes seguidas (o oxigénio em excesso desperta o cérebro num instante).

Também é frequente a paralisia do sono ocorrer várias vezes durante uma mesma noite. Para evitar que ocorra mais do que uma vez basta, após despertar do primeiro episódio, olhar diretamente para uma luz forte durante um minuto, e aí voltar a dormir que certamente não ocorrerá mais nenhum episódio na mesma noite.

Relato de Experiência
 
Leia a seguir um relato simples, mas típico de alguém que experimenta freqüentemente essa sensação estranha.

"
De repente eu noto que estou parcialmente acordado, posso ouvir ruídos,tento falar, mas não consigo mover absolutamente nenhuma parte do meu corpo. Infelizmente, eu sei que se conseguir entrar em sono profundo de novo, tudo fica bem, mas há um sentimento de pânico completo de que se eu fizer isso eu morro e é por puro esforço mental que eu me faço acordar - me sentindo exausto pelo esforço."
Embora a paralisia do sono seja conhecida há muitos anos, existe pouca pesquisa e divulgação sobre ela. Por exemplo, há evidências de que pessoas que sofrem de paralisia do sono são bem ajustadas psicologicamente, e não há nenhuma evidência de patologia ou doença associadas a ela.
Até agora coletamos aproximadamente cem descrições dessa experiência e alguns achados notáveis estão começando a emergir. Há determinadas características que surgem repetidas vezes. Por exemplo, existem os estranhos ruídos de pessoas se lamentando, ou sons que parecem provir e máquinas ou murmúrios. Um descreveu "gritos altos e gargalhadas agudas" e outro disse "escutei um ruído retumbante em minha cabeça: como se fosse devido a alta pressão sangüínea". E existem as vibrações. As pessoas as descrevem de muitas maneiras diferentes, mas estão obviamente tentando descrever a mesma idéia quando falam de sacudir ou vibrar. Um indivíduo diz que "era como se meu corpo inteiro vibrasse em alta freqüência e eu sentia até os meus dentes vibrarem junto". Outro diz que "uma estranha vibração profunda tomou o meu ser e literalmente me virou do avesso". Uma outra mulher descreveu assim a pior de suas muitas experiências de paralisia do sono: Eu acordei e vi um vulto alto e preto no pé de minha cama puxando meus pés pelas cobertas. Eu o sentia me puxando da cama e consegui gritar por entre os dentes cerrados, soando mais como o relinchar de um cavalo aterrorizado do que como um ser humano. Desta vez meu marido ouviu, se inclinou e bateu no meu ombro dizendo "cala a boca". Aí eu acordei de fato.

Sabe-se que a sensação de presença pode ser criada estimulando os lobos temporais do cérebro. Eles estão acima das orelhas em ambos os lados do cérebro e lidam com a integração entre memória e experiência, com a imagem do corpo e muitas outras funções. Epilépticos freqüentemente têm o foco dos seus ataques nesta área do cérebro. Estimular o lobo temporal (por exemplo, com eletrodos ou com campos magnéticos) pode causar experiências de projeção astral, experiências místicas, sensações de flutuar e voar e também a sensação de que há alguém com você - mesmo que você não possa ver nada.

O lobo temporal é especialmente ativo durante certas fases do sono e assim pode haver uma conexão aqui com a paralisia do sono. Algumas pessoas também têm lobos temporais muito mais instáveis do que outras. O que é chamado de "instabilidade do lobo temporal" pode ser medido, e as pessoas com altos graus nessa escala (com os lobos temporais instáveis ou altamente ativos) tendem a ser mais artísticas. Relatam mais freqüentemente experiências de déjà vu, místicas, mediúnicas e de projeção astral, e têm mais freqüentemente amigos imaginários na infância.

Ainda não está claro qual a conexão com paralisia do sono ou se os fenômenos do lobo temporal podem ser responsáveis pela sensação de presença e pelas criaturas estranhas. Uma pergunta fascinante surge aqui. A pessoa está realmente acordada, com os olhos abertos, olhando de fato para o quarto e tendo uma alucinação a respeito da criatura? Ou é tudo sonho? O fato de que as pessoas parecem ver seus quartos normalmente e podem ouvir ruídos na rua ou no rádio sugerem que estão acordados, mas elas ainda pode estar com olhos fechados e tendo uma alucinação da cena inteira - o quarto incluído. Está aqui um caso para ilustrar o problema.

Uma mulher de Middlesex contou sua primeira experiência de 53 anos atrás quando tinha 17 anos e era uma enfermeira em período de experiência na primeira jornada do turno da noite.


Naquela noite em especial eu fui para o banheiro da equipe de funcionários às duas da manhã e me aconcheguei em uma cadeira confortável pelas duas horas a que tinha direito. Para mim sempre foi difícil relaxar o suficiente para dormir mas eu conseguia tirar umas sonequinhas. Entretanto, nesta ocasião eu dormi. Eu acordei com a luz sendo ligada e pela Irmã da noite chegando com a consultora sênior. Para meu horror eu era incapaz de mover-me ou falar enquanto elas cruzavam o quarto para discutir sobre um paciente. Naquela época as enfermeiras que estivessem sentadas sempre se levantavam quando um médico ou funcionário mais velho entrava no recinto. Por isso fiquei realmente tomada de pânico,mas elas aparentemente não me notaram e logo saíram do quarto. Quando eu dei por mim, estava acordando sacudida por um colega que disse que era hora de voltar ao serviço. Quando eu cheguei na sala de trabalho eu estava tremendo e me desculpei com a Irmã e expliquei sobre a paralisia. Houve um silêncio de espanto e de repente ela sorriu e disse que ninguém tinha ido ao quarto enquanto eu estava dormindo e que o que eu tinha experimentado era provavelmente a Paralisia das Enfermeiras da Noite.

Esta enfermeira claramente teve uma alucinação com a Irmã e a consultora, mas ela estava lá sentada e paralisada com os olhos fixamente abertos, como lhe pareceu, ou a cena toda foi sonhada? A única maneira de descobrir deveria ser observando a paralisia do sono no laboratório ou acoplando instrumentos de gravação nas pessoas que os têm freqüentemente em casa. Esta deve ser a etapa seguinte na pesquisa. Lutar contra a paralisia parece apenas piorá-la, e tentar respirar mais fundo faz você sentir-se como se estivesse sendo sufocado (é melhor deixar em paz seu controle respiratório automático nesse estado) e tentar gritar no máximo lhe causará uma garganta doendo. Se você conseguir relaxar, a paralisia se dissolverá por si só em alguns segundos ou minutos. Entretanto, para muitas pessoas esse conselho é totalmente irrealista. Elas estão com tanto medo que relaxar está completamente fora de cogitação. E de fato para algumas pessoas parece que simplesmente não funciona. Para elas, parece que a melhor maneira é tentar, com muito cuidado, mover apenas uma coisa. Algumas crianças dizem que aprenderam a dobrar o dedo mínimo, ou um dedo do pé. Outros tentaram mover o nariz ou piscar com força. Por isso, se você não conseguir relaxar, tente deixar todo o resto parado e se concentrar em um pequeno movimento.

Eu mesma desenvolvedora do bog Enferamgem 24 horas, já tive mais de vez a paralizia do sono. É algo terrivel e assustador, eu acordei, via meu quarto, minha mãe, meu irmão, e não conseguia me mover, tentava falar e a voz não saia, tentava mecher a mão e nada, a sensação realmente é de que tem alguma coisa ou alguem proximo a você e quer te fazer mal, lembro de algumas vezes conseguir chorar, pois sentia lagrimas decendo pelo meu rosto. Aparalisia durava pouco de dois a três minutos e aos poucos e em algumas vezes derrepente eu acordava, assustada, com muito medo mesmo, pois pra mim não parecia sonho. Já tive paralisia do sono depois de casada também, via meu marido do meu lado na cama, mas não conseguia falar com ele, e eu tentava e muito mas nada dele ouvir é desesperador. Já faz alguns meses que isso não acontece Graças a DEUS, e nem quero passar por isso dinovo mesmo agora sabendo o que é e o porque de acontecer.

Espero que tenham gostado da materia e se alguem ja passou por isso, ja teve uma paralisia do sono comente abaixo como foi.

 Referencias:

5 comentários:

Leonardo Lyon disse...

Nossa, ja tive muitas vezes, tanto antes de dormir quando ao acordar, só agora descobri do que se trata, é horrível, sempre fico apavorado, da ultima vez levantei de madrugada acordei minha mãe e fiz ela dormir comigo.

Anônimo disse...

Nossa sempre tenho, penso que vou morrer!

RenataWillys disse...

Muito interessante o texto e as experiências relatadas. Espero que dê uma amenizada no pavor que sinto quando a paralisia ocorre.
Já senti várias vezes, sinto uma energia envolver meu corpo e me impedir os movimentos e a fala. Ocorreu comigo ao iniciar o sono e ao acordar em conjuento com a paralisia já ouvi passos no corredor, visualizei a sombra de uma pessoa na porta do meu quarto, senti uma pessoa se aproximando de mim... Algumas vezes eu sonhei que estava fugindo de alguém e quando eu estava me aproximando do lugar onde eu queria chegar eu acordei e já senti os sintomas da paralisia do sono. É horrível, eu tento chamar meu marido e a voz não sai é desesperador... Nos resta aprender a lidar com isto.

Chokito disse...

Tenho isso a tanto tempo com tanta frequencia que estou tentando me adaptar e ver um lado positivo se e que a um lado positivo nisso,sou musico e como viajo muito passo muito tempo em onibus,aviao quando durmo e acontese a paralisia ela e tao intensa q a banda toda acorda e o mas chato e que da o maior trabalho para me acordar,vejo todos se esforçando para me acordar me xacoalha de um lado para o outro chamao o meu nome alguns ficam até assustado com a situação o dia seguinte é muito desconfortável eu gostaria de lidar com a situação sem incomodar os outros tenho medo disso se torna um problema em meu trabalho e as pessoas que não conhece o problema achar que eu sou um sério candidato a morrer tocando ou viajando si não fosse trágico seria cômico

Anônimo disse...

Olá tenho esse tipo de disturbio o tempo todo no começo parecia que algo estava tentando me matar pois sentia alguem perto de mim, a sensação é horrivel, mas agora estou aprendendo a controlar a situação o segredo é não manter- se calmo e lembrar tudo que não passa de um sonho, quanto aos vultos ou as coisas malignas não são reais, são coisas causadas pelo medo portanto durante a paralisia tente pensar em coisas boas cite o nome de Jesus varias vezes ou faça uma oração isso lhe trara algum conforto, não esqueça manter a calma é primordial pois a respiração é a principal fonte para o controle durante a paralisia.

Postar um comentário

Seu comentario é fundamental para o sucesso desse blog.
Então não esqueça de comentar, pois assim poderemos aprimorar cada vez mais.

 
Enfermagem 24hr | by TNB ©2010